Otite em crianças: diagnóstico, sintomas e tratamento

A otite em crianças é muito mais comum que em adultos. Sua ocorrência está associada a uma estrutura anatômica especial da orelha interna em bebês. O tratamento deve começar nos estágios iniciais.

As crianças estão familiarizadas com otite significativamente mais do que adultos. Isto é devido à estrutura especial do organismo em formação. Com um resfriado comum e rinite, a infecção penetra muito rapidamente no ouvido médio, causando uma situação não muito agradável para o bebê. Em uma criança, a tuba auditiva é muito mais larga do que em um adulto do que os patógenos usam com sucesso. O tecido mixoide especial contido no ouvido é um substrato agradável para agentes estrangeiros. Com a idade, ela se resolve e a bactéria não fica muito confortável, mas, desde que o bebê tenha doenças nasofaríngeas agudas ou crônicas, deve haver temores de otite.

Os pais são o primeiro fator na doença. Encontrar é fácil através de sugestões. Ao pressionar o lóbulo da orelha, a criança retira a cabeça bruscamente, durante o sono, ele fica inquieto e irritado. Se ao mesmo tempo ele tem um resfriado, o risco da existência da patologia aumenta significativamente. Um fator provocativo adicional são adenóides, rinite crônica e antrite. Um aumento na temperatura corporal indica a progressão da doença e a necessidade de consultar um médico. Dado que a moderna terapia com antibióticos requer a combinação certa de medicamentos para não traduzir a doença em um estágio crônico, é necessária a consulta de um especialista em otorrinolaringologia.

Considere os principais estágios da otite. Inicialmente, desenvolve-se inflamação, na qual há ruído no ouvido e um ligeiro aumento na temperatura. Ocorre brevemente e muitas vezes passa despercebido. Com a progressão do processo entra no estágio catarral. Clinicamente, os pacientes experimentam dor penetrante e uma sensação de congestionamento. A mucosa está inflamada e você pode observar a descarga serosa do ouvido. No futuro, a doença entra em forma pré-formativa. Os acúmulos existentes de infiltrado têm uma composição sólida que promove a reprodução de microorganismos neles. Patógenos podem levar à infecção dos dentes, gânglios linfáticos, etc. O foco crônico é bastante difícil de tratar e está repleto de uma enorme ameaça à saúde. A temperatura nesta fase é mantida em números razoavelmente altos. Depois que o pus irrompe, surge uma forma pós-estrutural, na qual a dor nos ouvidos diminui e o ruído diminui. Existe uma área de cicatrização de tecido cicatricial e a eliminação do processo.

Deve-se notar que as características auditivas de uma pessoa após a destruição de otite são reduzidas devido à derrota do tímpano e da membrana mucosa do ouvido médio.

O tratamento da doença deve necessariamente ser realizado o mais cedo possível, quando ainda há uma oportunidade de se fazer sem intervenção cirúrgica. Gotas de álcool são enterradas no ouvido doente e cobertas com um cotonete. O efeito positivo é reforçado por compressas de aquecimento. O método não pode ser usado se o fluido for traçado a partir da aurícula. O ingresso de álcool através da parte danificada do tímpano em tais casos causará dor severa. A única coisa que os pais podem fazer nesta fase é deixar cair as gotas vasoconstritoras na cavidade nasal da criança. Nestas situações, as preparações anti-sépticas são prescritas para os ouvidos, o que deve ter um efeito antibacteriano direcionado. Estágio de otite não curado pode ser tratado com grande sucesso conservadoramente com encaminhamento oportuno a um especialista. Se o momento necessário é perdido, então é impossível administrar sem paracentese (uma operação para incisar o tímpano para liberar o pus).

Svetlana, www.detadoctor.com